MARTELLADDAS

200 anos de histórias de uma família italiana na Vecchia Botta e na ‘Mérica

Uma viagem pela história do sobrenome Martellotta, desde as suas origens até meados do século XX. Utilizo uma linha do tempo do meu ramo familiar que vem desde 1822 até 1954, ano da morte de meu bisavô. Tudo pontuado com análise crítica dos fatos, deduções para as lacunas e acontecimentos históricos ocorridos no mundo nesse período, em especial nos 4 países em que a família se estabeleceu: Itália, Estados Unidos, Brasil e Argentina. Foi feito a partir de intensa pesquisa iniciada em 2010 e que envolveu toda a família espalhada por esses países. Recomendado para quem se interessa por Genealogia, Imigração e História.

André Martellotta, filho de Walter, neto de Ernesto, bisneto de Vincenzo, trisneto de Giuseppe, tataraneto de Antônio, após 10 anos de pesquisas.


Origens do sobrenome

O sobrenome Martellotta é originário da Apúlia (salto da Bota). Provavelmente da comune de Alberobello, que fica no interior a 70 km de Bari, de onde partiram muitos Martellotta para o mundo. Alberobello é la cittá dei trulli, que são antigas construções de pedra com telhados cônicos. Lá, encontramos várias ruas e praças com o sobrenome.

São cerca de 250 famílias na Itália com o sobrenome Martellotta, sendo 170 na Apúlia e apenas 6 na Calábria.

Martellotta tem objetivo de suavizar ou atenuar o som da palavra de origem, Martel, do dialeto francês medieval (caso do famoso Charles Martel da dinastia carolíngia e avô de Carlos Magno). Mas é igualmente provável que seja uma derivação do sobrenome normando francês Martelot ou Marthelot, que vem de Marteau (martelo). Os normandos chegaram no sul da Itália a partir da Apúlia no final do século X, retornando da Terra Santa, pouco antes da I Cruzada.

Existem muitas variações do sobrenome, como Martillotta, Martellotto, Martelotta, etc. Mas é muito provável que a grafia correta seja mesmo Martellotta. Além da Itália, o sobrenome está espalhado pelo Brasil, Argentina, Estados Unidos, França, Austrália, Bélgica, Suíça, Inglaterra, Alemanha, Luxemburgo, Escócia, Espanha e Uruguai.

Nesse vídeo, o Largo Martellotta aparece logo no início. É a principal praça da cidade.

Possível brasão da família

TENHA ORGULHO DE SEUS HUMILDES ANTEPASSADOS

São as pessoas humildes que eu procuro,

O sal da Terra, por assim dizer,

Aqueles que domaram o solo bruto,

E fizeram nele as sementes florescer.

São estes que eu gosto de encontrar,

Quando mergulhada na estrada da genealogia.

E é apenas por orgulho que me deixo levar,

Refazendo seus passos para assim os imortalizar.

Aqueles que buscam o passado com sonhos de glória,

De encontrar heróis e ducados em cada história,

Não devem jamais se desapontar

Ainda que descobrirem que os humildes antepassados

Tinham somente as estrelas para contemplar.

G. McCoy

Source: The Sunny Side of Genealogy,

compiled by Fonda D. Baselt,

Genealogical Publishing Co., Baltimore, 1988, p.10

(tradução livre: Lea Beraldo)

AGRADECIMENTOS

Paolo Chiaselotti, por todo a pesquisa em San Marco Argentano. Sem isso, esse trabalho não seria possível.

Walter, Mário e Vicente, filhos de Ernesto, netos de Vincenzo.

Humberto Filho, filho de Umberto, neto de Vincenzo.

Nilton e Pedro, filhos de Eugenio, neto de Vincenzo.

Joana, filha de Antônio, neta de Vincenzo e esposo Bruno.

Neide Ferrari e Hilda, filhas de Lauretta, netas de Vincenzo.

Stella Maris, neta de Giuseppe, bisneta de Vincenzo.

Janina Ambrósio, filha de Gisa, neta de Angiolina, bisneta de Vincenzo e seu pai Aldo Ambrósio.

Amalia Langella, bisneta de Antônio (primo de Vincenzo) e seu filho Giacomo.

Franscesco Martillotta, bisneto de Antônio (primo de Vincenzo).

Meu homônimo André Martellotta, descendente de puglieses.

Daniel Taddone, sociólogo e apaixonado por imigração.

Aos amigos Cláudio Serio e Conny Grili.

Luciana Facchinetti (in memoriam), pela atenção dada ao meu avô Ernesto enquanto vivo.


A TODOS OS MEUS ANTEPASSADOS QUE POSSIBILITARAM A MINHA EXISTÊNCIA


FONTES

Wikipedia

Storia Dimenticata, do escritor italiano Deliso Villa.

Parla! O Imigrante Italiano do segundo pós-guerra e seus relatos, de Luciana Facchinetti.

Nosso Tempo - A Cobertura Jornalística do Século XX, do Jornal da Tarde.

San Marco Argentano - site de Paolo Chiaselotti

Family Search

Cognomix - Sobrenomes Italianos

Forebears - significados de sobrenomes

Centro Internazionale Studi Emigrazione Italiana

Museu da Imigração do Estado de São Paulo - Acervo digital

Centro de Estudios Migratorios Latinoamericanos

The State of Liberty - Ellis Island Foundation

Arquivo do Estado de São Paulo - Acervo Digital

Sistema de Informações do Arquivo Nacional


Termine primeiro o seu trabalho a céu aberto; deixe pronta a sua lavoura. Depois constitua família.

Provérbios 24:27